Logo Minuto Weleda

dicas da medicina integrativa para fortalecer o sistema imunologico das criancas

Dicas da Medicina Integrativa para fortalecer o sistema imunológico das crianças

Crianças – e adultos também – estão constantemente expostos a bactérias, vírus e todo tipo de germes que podem causar doenças. A primeira linha de defesa contra esses ataques é um sistema imunológico forte, mas às vezes ele falha. Se para os adultos isso é ruim, para as crianças pode ser pior ainda, porque elas estão na fase de constituição de suas defesas naturais. Por isso, é importante fortalecer o sistema imunológico, mais ainda na fase infantil, e há várias maneiras de fazê-lo.

Para a Medicina Integrativa, por exemplo, o fundamental é dar para a criança “o cuidado integral”: tratamentos para o corpo, a mente e o espírito. Uma forma de tratamento complementar aos tratamentos médicos, farmacológicos e psicológicos tradicionais, a Medicina Integrativa reúne profissionais de diversas áreas e associa o tratamento da medicina convencional a outras práticas como: meditação, hipnose, yoga, atividades criativas, massagens, terapias baseadas em energia (como Tai Chi Chuan e Reiki), Medicina Antroposófica, Chinesa, Ayurveda (originária da Índia) e a Homeopatia.

Segundo os princípios da Medicina Integrativa, a chave para ter um sistema imunológico saudável é estimular, manter ou recuperar o controle do funcionamento adequado do nosso corpo. Na criança, cujo corpo está em formação, isso é ainda mais importante. Há diversas formas de aumentar a imunidade das crianças:

  • Amamentação

Quando nascemos nossos corpos já possuem certa imunidade, adquirida a partir dos anticorpos da mãe, que são passados para o bebê, ainda dentro do útero. A mãe continua passando anticorpos para o bebê durante a amamentação. São esses anticorpos que protegerão a criança contra doenças. É importante que a amamentação não seja interrompida por falta de lactação e prejudique o desenvolvimento saudável do bebê. Em uma pesquisa realizada com mais de 900 participantes, 96% responderam que o cuidado integral é uma das medidas mais importantes para o sucesso da amamentação. Dentro da fitoterapia, que faz parte dos cuidados da Medicina Integrativa, há diversas plantas utilizadas pelas mães, principalmente sob a forma de chás durante a amamentação, que podem aumentar a produção de leite materno. A Medicina Integrativa e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam que os bebês sejam alimentados exclusivamente com leite materno até o sexto mês de vida, e que a amamentação continue até dois anos ou mais, quando será associada à alimentação complementar saudável. Crianças que não foram amamentadas têm mais facilidade em desenvolver doenças respiratórias e alérgicas.

  • Um arco-íris no prato

A Medicina Integrativa entende que a alimentação saudável é um meio importante de cuidado da mente, corpo e espírito e, não menos relevante, uma forma de ter uma boa saúde. Não se trata apenas de comer frutas e vegetais todos os dias, mas como através da comida, de vitaminas, minerais e suplementos fitoterápicos podemos melhorar o funcionamento do nosso corpo. Quanto mais colorido o prato do seu filho, e o seu também, diga-se de passagem, mais saudável ele ficará. Evite frituras, refrigerantes e outros produtos industrializados. Frutas, legumes e verduras são a fonte de vitaminas e sais minerais para o organismo. Crianças que se alimentam mal, podem ficar doentes com mais frequência.

  • Bom sono

O grande drama dos pais que trabalham fora o dia todo é compensar a ausência quando chegam em casa. Em alguns casos, a rotina de sono da criança pode ser afetada, pois algumas crianças precisam de mais de 10 horas de sono. O que mais importa é a qualidade do sono. Para que o hormônio do sono (melatonina) seja produzido, a criança deve dormir em um quarto escuro – dica que também vale para os adultos. Estudos indicam que mais de 30% das crianças têm problemas para dormir. Esse mesmo estudo comprovou que o uso de fitoterapia ajudou 60% das crianças a terem uma boa noite de sono. Através de práticas da Medicina Integrativa, os pais podem auxiliar os filhos a possuírem uma melhor noite de sono com ritmo e rotina. Há várias práticas integrativas que auxiliam no sono, como: aromaterapia, acupuntura, fitoterápicos, homeopatia e massagens. As massagens com óleos essenciais ajudam a relaxar a criança, melhoram a interação com os pais e, ainda, auxiliam no bom funcionamento do organismo. O efeito terapêutico da massagem tem sido usado como um tratamento integrativo em recém-nascidos, internados em unidades de tratamento intensivo, melhorando a sua recuperação e a imunidade.

  • Sujeira é boa

Os pais não precisam ficar desesperados quando encontram as crianças brincando (e até comendo!) no barro. De fato, brincar está dentro do conceito de cuidado integral (mente, corpo e espírito) da Medicina Integrativa. Ao mesmo tempo que as crianças estão brincando estão cuidando da mente – melhorando o foco, liberando serotonina (quando está em baixa no nosso organismo, causa depressão) e cuidando do corpo. Brincar também aumenta a imunidade, reduz a possibilidade de inflamações e infecções e há estudos que indicam que melhora até o sono.

Trabalhos científicos comprovaram que a exposição a germes na infância ajuda a fortalecer o sistema imunológico e protege as crianças contra o desenvolvimento de asma e alergias. Isso não significa que os hábitos de higiene devem ser esquecidos. Pelo contrário. Lavar as mãos dos pequenos com frequência evita que eles peguem doenças.

  • Hábitos saudáveis dentro e fora de casa

Não é só a alimentação que auxilia no desenvolvimento de um organismo forte. A Medicina Integrativa sugere que o autocuidado e a busca por adquirir novos hábitos emocionais e físicos são as melhores fontes de saúde. Assim, exercícios físicos e tomar sol são poderosos aliados de uma vida saudável. Um ambiente emocionalmente estável também auxilia no sistema imunológico forte, de pais e filhos.

  • Vacinação

Através das vacinas é possível prevenir vários tipos de doenças. Prevenção é uma forma de autocuidado, estimulada pela Medicina Integrativa. Ao prevenir uma doença de se manifestar, a vacinação – prática recomendada tanto pela Medicina Convencional, quanto pela Medicina Integrativa – aumenta a imunidade. Não só nos primeiros anos de vida, mas durante todo o desenvolvimento da criança, até a vida adulta, é importante ficar atento ao calendário de vacinação. As vacinas possuem patógenos modificados ou mortos que não causam doenças, mas o sistema imunológico não sabe disso. Quando uma criança toma vacina contra o sarampo, por exemplo, o sistema imunológico reage como se ela estivesse, de fato, doente. São produzidos anticorpos que ficam armazenados no corpo. Quando uma criança vacinada entra em contato com outra com sarampo, não deve ficar doente, graças ao efeito protetor da vacina.

Se os pais optarem por cuidado integrativo e utilizar produtos naturais, antroposóficos ou fitoterápicos, para aumentar a imunidade das crianças, não devem se esquecer da procedência desses produtos. Ainda, é importante lembrar que as crianças estão mais sujeitas a intoxicações e que o acompanhamento de um profissional especializado é fundamental.

Os produtos da Weleda têm suas substâncias extraídas da natureza, são fabricados segundo rigorosos critérios de qualidade e respeitam o uso sustentável de matérias-primas, a biodiversidade e a utilização ecológica dos recursos naturais. A Weleda aconselha que você procure sempre um médico ou farmacêutico antes de comprar ou utilizar quaisquer medicamentos.

 

Conteúdo revisado por Dr. Fabricio Dias – Médico da Família – CRM-MG 40620.

 

 

 

Fontes:

ALMEIDA, Adriana Prado de. A massagem terapêutica em ambientes de unidade de terapia intensiva neonatal: uma revisão integrativa. 2014. 84 f. Dissertação (Mestrado em Saúde da Criança e da Mulher) – Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2014.

BACHMANN, Christoph. Phytotherapy for restlessness and dyssomnia in children. 2013. Disponível em: <http://schwabe.ru/upload/articles/2013Bachmann.pdf>. Acesso em: 21 maio 2017.

DURNAN, Julie. 6 Ways to boost your child’s immune system. Disponível em: <https://www.mindbodygreen.com/0-13175/6-ways-to-boost-your-childs-immune-system.html>. Acesso em: 17 maio 2017.

JOSÉ, Dayane Kanarski Bernardino et al. Relação entre desmame precoce e alergias alimentares. Visão Acadêmica, s. 1, v. 17, n. 3, fev. 2017. Disponível em: <http://revistas.ufpr.br/academica/article/view/49129/30211>. Acesso em: 16 maio 2017.

LOO, May. Integrative Medicine for children. Elsevier Health Sciences. 522p. 2009. Disponivel em: <https://goo.gl/OMhCPy>. Acesso em: 17 maio 2017.

LUND, Melinda. Integrative Medicine embraces nutrition. Disponível em: <http://www.todaysdietitian.com/newarchives/021313p26.shtml>. Acesso em: 21 maio 2017.

MARTIN, David D. Fever: views in Anthroposophic Medicine and their scientific validity. Evidence – based Complementary and Alternative Medicine: eCAM. 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Recomendações OMS. Disponível em: <http://www.leitematerno.org/oms.htm>. Acesso em: 15 maio 2017.

ROSIN, S. I.; ZAKARIJA-GRKOVIĆ, I. Towards integrated care in breastfeeding support: a cross-sectional survey of practitioners perspectives. International Breastfeeding Journal, v. 11, n. 15, 2016.

SHETREAT-KLEIN, Maya. The dirt cure: growing healthy kids with food straight from soil. Editora Simon and Schuster, 2016. 384 p. Disponível em: <https://goo.gl/XMFHMQ>. Acesso em: 13 maio 2017.

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU. Medicina Integrativa: entenda o que é e qual sua importância. Disponível em: <http://blog.usjt.br/medicina-integrativa-entenda-o-que-e-e-qual-sua-importancia/>. Acesso em: 19 maio 2017.

SMYTHE-FREED, Risë. Anthroposophical Medicine, Breastfeeding and Weaning. Disponível em: <http://www.waldorfwithoutwalls.com/articles/breastfeeding>. Acesso em: 20 maio 2017.

THOMPSON, Helen. Early exposure to germs has lasting benefits. Disponível em: <http://www.nature.com/news/early-exposure-to-germs-has-lasting-benefits-1.10294#b1>. Acesso em: 17 maio 2017.

 

Posts relacionados